8 em cada 10 produtos lançados fracassam.

3 entre 10 empresas fecharão as portas no segundo ano.

6 entre 10 podem fechar por falta de gestão em menos de 5 anos.

Uma das principais causas de fechamento das empresas é a falta de gestão. Podemos destacar que a falta de conhecimento gerencial impacta profundamente na longevidade das empresas.

Atualmente a neurociência vem ocupando um espaço efetivo na gestão das organizações. O que muita gente não sabe é que essa tecnologia (do conhecimento) está acessível para todos os tamanhos de empresa. O observo que o principal obstáculo é a vontade e a iniciativa da busca do conhecimento, as pessoas não possuem ou não sentem a necessidade de buscar esse conhecimento quando planejam empreender. Posteriormente quando as coisas dão errado, a tendência é colocar a culpa no mercado, nos funcionários, na economia ou no sistema.

Na década de 1970, Michael Porter definiu as cinco forças competitivas que blindariam as empresas das ameaças externas do mercado: poder de barganha dos fornecedores; ameaça de produtos substitutos; poder de barganha dos clientes; novos entrantes; e rivalidade entre concorrentes. A matriz Swot é outra ferramenta bastante utilizada na gestão das empresas, fundamentada por Kenneth Andrews e Roland Christensen nas décadas de 1960 e 1970.  Segundo Kotler (2000), o nome Swot é uma sigla que significa Strenghts (forças), Weaknesses (fraquezas), Opportunities (oportunidades) e Threats (ameaças). De forma simplificada, abrange dois ambientes: o interno, referindo-se a forças e fraquezas; e o externo, explorando possíveis ameaças e oportunidades.

Conceitualmente, essas duas ferramentas fazem parte do chamado planejamento estratégico das empresas. Trata-se de um plano gerencial que determina os objetivos da empresa em determinado período de tempo, no qual são estabelecidos planos de ações, indicadores de desempenho, pesquisas de mercado, metas corporativas, fluxos de caixa e outras variáveis importantes sempre considerando, firmemente, os cenários interno e externo. Para a realização desse trabalho, normalmente é demandada uma dedicação de tempo e energia muito grande dos executivos. São ferramentas que utilizam dados e informações de um passado recente para prever como as ações se processarão no futuro com o objetivo de evitar infortúnios. Sua aplicação demanda lógica, racionalidade e frieza de dados. Portanto, as cinco forças de Porter e a Matriz Swot constituem os dois conceitos mais disseminados e ainda utilizados no mundo empresarial.

As 100 maiores empresas do mundo não foram criadas com pesquisa de mercado ou planejamento estratégico. Você acha que a Apple perguntou aos clientes como eles gostariam que desenvolvesse um celular touch (Iphone)? Ou a Microsoft pesquisou se seus clientes sentiam a necessidade do Windows? Ou ainda, que o Google perguntou como deveria ser seu site (o mais visitado do mundo)? Claro que não! O cliente não sabe dizer o que quer, porque suas “verdades” não estão acessíveis tão facilmente.

Essas empresas criam a necessidade na mente do consumidor, no seu inconsciente. Especificamente a Apple, tem a incrível habilidade de vender um celular com menos recurso, menos memória, menos versões, menos pixel, menos sei lá o que…por um preço superior, premiun, com fila de espera, com desempenho, status, simplicidade e intuição impecável…a Apple está na mente das pessoas como referência de qualidade inquestionável. E assim agem muitas outras empresas. Assim é Harvard, Starbucks, Nestlé, Boticário, BMW, Disney, Nike, Toyota…

A economia e o comportamento de consumo tem seus fundamentos no marketing, entretanto, é através da neuroeconomia e do neuromarketing que está sendo possível mapear o “porque” das decisões de consumo. São informações extremamente relevantes para o Negócio, o cliente não fala, ele simplesmente transmite.

Estudos indicam que mais de 80% das decisões de consumo são inconscientes e por impulso. Porque insistimos na comunicação com o “racional” das pessoas? O consumo é por impulso e inconsciente. Saber inserir um “meme” ou informação na mente inconsciente do seu consumidor é uma das coisas mais importantes para que ele compre seu produto ou sua ideia. Existe técnica, estudo e pesquisa científica para isso.

Grande abraço!

Deixe uma resposta