Tomar uma decisão requer mais energia do que você imagina. Atualmente enfrentamos um problema que, ao que tudo indica, deve aumentar com o passar do tempo, que é o grande volume de informações que recebemos diariamente. Com a evolução da tecnologia, o acesso a todo tipo de mídia está mais fácil e rápido. A grande questão é: como processar esse volume de informações a que somos expostos? A visão humana capta 11 milhões de bits por segundo; o córtex cerebral decodifica de 16 bits a 50 bits; e o restante é armazenado no inconsciente. A memória é processada numa região do cérebro chamada hipocampo, existe um limite para armazenamento de informação. Por esse motivo o esquecimento é necessário. Trata-se de uma limpeza de informações que não são úteis para o organismo abrir mais espaço disponível.

Somos, inevitavelmente, produto do meio que vivemos. Somos conduzidos a agir de acordo com as informações que deixamos entrar em nossa mente, formamos nossa cultura repetindo atos e tradições que são transmitas pelas pessoas mais próximas e também, principalmente, pelos smartphones. Se você consome habitualmente futilidades, você não escapará de ser uma pessoa sem conteúdo.

Você é o que você consome!

Mas como decidir com essa avalanche de informações? Realmente não é fácil. Se demorarmos analisando, pode-se perder o time, e acabar perdendo uma oportunidade. Se decidirmos rápido demais corremos o risco de fazer uma análise superficial e incorrer em prejuízos e perdas. A boa notícia é que há uma orientação a ser tomada.

O cérebro gasta 20% de toda energia corporal, é um gastador nato de energia. Ele consome cinco vezes mais energia que um músculo com o mesmo volume. Nós, seres humanos, SEMPRE vamos preferir não pensar muito para não gastar energia. As dicas são:

  • Refute sempre a primeira decisão mesmo que seja óbvia. Com a segunda alternativa, você forçou, em milésimos de segundo, sua mente a enxergar as coisas em outro prisma. Mesmo que você decida pela primeira alternativa, o exercício é válido;
  • Não decidir nada, ficar na dúvida muito tempo gasta muita energia. A dúvida consome tempo e paciência. A dica é: Decida! E se decidir errado, corrija rapidamente. Mas o importante é decidir;
  • Desafie-se em novas experiências. Momentos de alegria e descontração ajudam a descansar a mente e propiciam uma assertividade maior quando ela for exigida;
  • Durma bem! O sono é fundamental para manter o foco no que realmente é importante;
    Selecione o tipo de informação que você consome. Não falo de apenas ler conteúdos intelectuais e chatos. Mas, tente manter um equilíbrio de conteúdo buscando recomendações de pessoas de referencia.

Finalmente, cerque-se de pessoas que possam agregar positivamente em sua vida. Pessoas mal-humoradas, invejosas e de baixo nível cultural, simplesmente sugam sua energia e lhe põe para baixo, evite-as a todo custo! Bons exemplos são fundamentais, imitar pessoas bem sucedidas não há mal algum. Existe um grupo de neurônios que foram descobertos recentemente (década de 90), chamados neurônio-espelhos, são basicamente responsáveis pela imitação e aprendizado. Estudos indicam que são um dos principais propulsores de formação e transmissão da cultura, e agem em determinados níveis de forma inconsciente. Portanto, espelhe-se em pessoas de sucesso, bem sucedidas e exitosas. Analise quais ações essas pessoas praticam para alcançar o sucesso e vá em frente.

Abraço!

4 Comentários

Deixe uma resposta