Existe uma explicação plausível para não acreditar muito no planejamento  de longo prazo. Acompanhe comigo.

Fazer planos de 5 anos em diante, são dificílimos de serem concretizados. Metas anuais em 31 de dezembro também são grandes exemplos, chegamos constantemente no meio do ano sem ter conseguido cumprir 30% do que prometemos. Por que parar de fumar é tão difícil, mesmo o indivíduo sabendo que está morrendo? Assim também acontece com aquela dieta que começaremos na segunda-feira. Por que é tão difícil economizar e comprar a vista, sabendo que podemos obter poder de barganha e conseguir condições de compra melhor?

Simplesmente, porque estamos preparados para ter prazer imediato. A tal da dopamina  (neurotransmissor relacionado com o prazer) não nos deixa tomar as decisões frias e racionais que achamos que somos capazes e que a literatura de economia tradicional preconiza. Sucumbimos constantemente às decisões emocionais por puro prazer imediato.

Se 95% das nossas decisões são emocionais e inconscientes, como fazer planos de longo prazo? Nosso cérebro racional somente tem autonomia em 5% das nossas decisões. E é exatamente essa área que faz o planejamento de longo prazo. Ou seja, temos temos uma capacidade mínima de conseguir concretizar nosso planejamento com apenas 5% de domínio consciente.

As nossas decisões econômicas também seguem essa mesma lógica, somos constantemente influenciados pelo meio em que estamos inseridos, pelas pessoas que temos contato, pelos meios de comunicação que escolhemos, pelos livros e pela cultura. Todo esforço que seja feito para fortalecer o neocórtex (parte racional do nosso cérebro) ajuda a ter lucidez para conseguir tomar decisões com menos carga emocional, e evitar, por exemplo, consumo desnecessário e endividamento excessivo.

Decisões tomadas de forma imediatista poderão impactar de forma irrecuperável a própria vida ou a vida de terceiros, é de extrema relevância entender como as reações se processam e suas consequências. Compreender o porque das decisões imediatas é fundamental para o equilíbrio financeiro.

A dica é a seguinte: antes de querer tomar qualquer decisão de impacto financeiro, adie essa decisão, nem que seja por 5 minutos. Seguramente você estará dando tempo ao seu córtex para confirmar, analisar, retificar ou refutar a decisão. Isso requer treino e funciona muito bem. Mesmo que você já saiba e esteja convicto do que vá fazer, espere para decidir.

Leia mais: Neurociencia expica porque você deve ficar longe de pessoas mal sucedidas.

Grande abraço.

 

 

Escrito por: Hugo Montenegro

Deixe uma resposta