Empreendedorismo, o sonho pode virar pesadelo!

Muitos analistas tem apontado o momento atual como sendo a melhor hora para empreender, pois como a economia tende a crescer nos próximos meses, a demanda tende a aumentar. Organizar a casa e preparar-se hoje parece fundamental para poder aproveitar a demanda futura. Os que conseguem antecipar esse movimento e encontrar o time perfeito terão as melhores oportunidades e rentabilidades. Outro fator importante é a taxa selic, com a sucessivas quedas de juro os investidores estão ganhando menos no mercado financeiro e migrando seus recursos para a produção, esse movimento já é uma realidade.

O descolamento da economia da política é uma realidade, o fato que é a economia é cíclica. Depois de termos a maior recessão da história, onde ficamos a frente somente da Venezuela, é natural e previsível que qualquer incremento no crescimento do PIB gere impacto. Portanto, 2018 deveremos sentir um crescimento impactante no país.

Tenho observado que muita gente incentiva o empreendedorismo como se fosse fácil, suave e tranquilo. Não nos iludamos! Empreender não é fácil e requer conhecimento, esforço e muita dedicação. Vejo que essas características não são muito comuns de se encontrar nas pessoas. Dinheiro fácil, geralmente, não existe.

Empreendedorismo! quando o sonho pode virar pesadelo!

Não é questão de pessimismo, é a realidade dos números. O empreendedorismo nos últimos anos está mais fundamentado na necessidade pessoal de sobrevivência do indivíduo do que na convicção de uma visão mercadológica e estratégica de negócio. A maioria das micro e pequenas empresas não se prepara para enfrentar o cenário negativo ou o ambiente econômico-financeiro que, em muitas situações, apresenta-se como hostil e de alta concorrência. A cultura brasileira está embasada em abrir um negócio de qualquer maneira, de forma intempestiva, sem considerar fatores externos, e com um excesso de otimismo e esperança.

8 em cada 10 produtos lançados fracassam

3 entre 10 empresas fecharão as portas no segundo ano

6 entre 10 podem fechar por falta de gestão em menos de 5 anos

No Brasil, ainda há uma carência exorbitante de serviços, de atendimento, tecnologia, gestão e produtos de qualidade. É possível encontrar algumas oportunidades fazendo o dever de casa. Veja alguns cuidados que devem ser tomados antes da decisão de abrir seu próprio negócio:

  1. NÃO BRIGUE COM AS ESTATÍSTICAS: Apesar de nossa mente não ter sido projetada para análises estatísticas, ela nos fornece uma valiosa informação. Acredite, você faz parte das estatísticas. Acostume-se com os números.
  2. “PENSE POSITIVO! SE DEUS QUISER TUDO VAI DAR CERTO!”: Não ponha em Deus a responsabilidade de suas decisões. Temos uma tendência de querer enxergar somente o cenário otimista, onde vamos vender muito e imaginamos o dinheiro entrando de forma natural. Isso é uma armadilha da nossa mente, tendenciamos imaginar o que nos dará prazer. Para combater essa armadilha, tente fazer o seguinte exercício: Imagine que você tomou a decisão de abrir seu negócio há um ano atrás e faliu.  HOJE você resolveu elencar todas as falhas que aconteceram durante este último ano fictício. Isso forçará você a relacionar todos os possíveis problemas EXTERNOS que poderá acontecer na vida real e que você hoje não está vendo. Você estará contrariando sua própria mente que quererá apenas notícias positivas, mas evitará no futuro muita dor de cabeça. Ao listar os perigos (medo), estará ativando sua amígdala cerebral. Esta tem a função de preparar o organismo contra possíveis ameaças.
  3. BUSCAR NICHOS É IMPORTANTE: Não tente atender muitos (grande mercado) clientes de forma razoável. É muito melhor atender com excelência um nicho (pequeno mercado) e ser reconhecido com excelência.
  4. PAGUE OS IMPOSTOS: Faça sua parte, o que vão fazer com o dinheiro está fora do seu círculo de interferência. Não sofra com isso!
  5. POUPE ENERGIA: Não gaste energia com absolutamente nada que não faça parte do seu negócio. Não dedique atenção a coisas, pessoas, situações, agendas etc. que não esteja relacionado com sua atividade. É muito fácil perder o foco.
  6. NÃO CRIE VÍNCULOS EMOCIONAIS: Não crie vínculo emocional, não combina com estatística. Trate seu negócio como uma oportunidade de atender a um mercado e ganhar dinheiro.
  7. VENDER O NEGÓCIO? Sim. Se for vender o negócio, venda-o enquanto estiver dando dinheiro. Ninguém vai querer pagar bem por um negócio em declínio. Se você identificou que o mercado está diminuindo, trate de tirar proveito da situação. Venda antes que seu problema aumente.

Abrir um negócio é conseguir resolver o problema de uma pessoa. Depois encontre mais pessoas que possuam esse mesmo problema. A princípio essa é a lógica. Empreender continua sendo uma grande saída para o desenvolvimento econômico de um país, região ou cidade. Porém essa iniciativa tem que nascer da capacidade técnica e gerencial de atender um mercado e não da necessidade criada a partir do desemprego e desespero.

Saiba mais: Por que as oportunidades diminuíram?

Deixe uma resposta