Onde estão as oportunidades? Hoje estamos vivendo uma verdadeira crise. Não estou falando de crise financeira ou política, mas uma crise de falta de conhecimento generalizado. A internet propicia uma vantagem muito grande em obter informação com rapidez, porém essa vantagem causa uma preguiça mental em conseguir aprofundar-se em determinados assuntos. Muita gente com conhecimento superficial figura nas redes sociais como se fosse um Ph.D. Esses especialistas superficiais atuam nas mais variadas áreas, nutrição, economia, política, finanças pessoas, medicina etc. O resultado é um batalhão de gente transmitindo conhecimento superficial.

Nas décadas de 60 e 70 um indivíduo que tivesse conseguido se formar em uma boa universidade, praticamente estaria com o futuro garantido, um cargo de Diretoria em uma empresa privada ou um bom emprego público que lhe trouxesse estabilidade eram perfeitamente possíveis e desejados. As oportunidades de emprego eram mais abundantes. Nas décadas de 80 e 90, as boas oportunidades de emprego começaram a aparecer para quem possuía uma pós-graduação, essas pessoas para conseguirem conquistar um cargo gerencial, precisava obrigatoriamente de uma pós-graduação em seu currículo. No século XXI iniciou a febre dos MBA’s, praticamente para se conseguir um emprego comum (não gerencial), era necessário ter um ou dois MBA’s no seu histórico. Um pós-graduação não é mais um diferencial. A conclusão é que as oportunidades atualmente são muito menores que antigamente. Hoje é muito mais difícil diferenciar-se e aproveitar as poucas oportunidades.

As oportunidades aparecem para quem tem mais qualificação e conhecimento. Quando a economia está em alta, o emprego aparece para todos, inclusive para quem não tem qualificação, a medida que a atividade econômica diminui, as oportunidades migram para o grupo de pessoas com mais qualificação. Nesse ponto nos deparamos com a seguinte questão, os melhores cursos de graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado são extremamente caros. Então, apenas uma pequena parcela da população tem acesso, o que nos leva a crer que somente as pessoas que possuem alguma reserva financeira consegue investir em educação e aproveitar as melhores oportunidades. Infelizmente o filtro é muito grande, primeiramente as pessoas que possuem recursos nem sempre investem em educação. As que investem, estatisticamente, terão melhores chances de obter bons empregos e aproveitar melhores oportunidades.

Por esse motivo, ao entrarmos em crise econômica, as classes menos favorecidas são as mais afetadas com o desemprego. Existe ainda aquele grupo de pessoas que possuem alguma qualificação, mas entram em uma zona de conforto. São superados por pessoas mais qualificadas e com menos idade.

A solução para o desemprego a médio e longo prazo é o investimento público em educação de qualidade. Estudar dá trabalho e é cansativo, além de estar fora de moda. Porém pouca gente enxerga que é uma questão de sobrevivência. Não há como ter resultados diferentes fazendo as mesmas coisas, não existe injustiça. O que você é e o que você tem hoje é consequência de suas próprias decisões.

Leia mais: Empreender! Chegou a hora?

Deixe uma resposta